Qual idade maxima para mamografia?

 

Uma paciente de 80 anos com boa saúde deve realizar screening mamográfico? Um estudo recente holandês publicado no International Journal of Câncer sugere que a idade de 75 anos deve ser a mais apropriada como limite superior para investigação rotineira de CA de mama.

Mas outros dizem que a saúde de uma mulher e não a idade,deve ser  fator decisivos para que esta realize mamografias anuais.

“A política de nossa clínica é a de que nenhuma mulher é tão idosa para que deixe de fazer avaliações mamográficas, tão certo como ela esteja em bom estado de saúde”, comenta Valerie Andolina, tecnóloga em radiologia na Clínica Wende Breast em Rochester,NY.

“O risco de uma mulher desenvolver câncer de mama aumenta com a idade, e como a saúde das mulheres idosas têm evoluído bem graças aos avanços da medicina, deve ser importante neste momento estimular estas pessoas a continuarem realizando suas mamografias anuais”, comenta Andolina.

Atualmente a Sociedade Americana de Câncer recomenda que o acompanhamento mamográfico inicie-se aos 40 anos e continue “enquanto esta mulher mantiver-se saudável”.

Porém em alguns setores, programas públicos americanos de “screening” por exemplo estabeleceram idades limites para participação dos mesmos, levando em consideração , principalmente os aspectos financeiros , comentou Shirley Long do Serviço de Mamografia em Alberta , British Columbia.

A meta destes programas é prover o máximo de benefício para o maior número possível de mulheres. A idade máxima é colocada em foco na medida em que os limitados recursos devem ser gastos em pacientes que presumivelmente obterão maiores benefícios com o “screening”, comenta a médica. Programas de “screening” público americanos para outras doenças ( como próstata ou câncer de colo por exemplo) tipicamente oferecem “screenings” para qualquer indivíduo com uma expectativa média de vida de 10 anos, disse Long.

“Apesar das referidas limitações, os seguros privados tem ressarcido esses exames independendemente da idade da paciente.Nosso Departamento de Contas relata que nenhum exame teve seu pagamento rejeitado em função da idade”comenta a médica.

Encorajando o screening


“Portanto, se não houverem limitações financeiras do programa e a mulher tiver boa saúde, independentemente da idade, ela deve ser encorajada a participar do screening”, complementa a Dra. Long.

Um estudo recente publicado no “American Journal of Preventive Medicine” demonstrou que menos da metade das mulheres com 65 anos ou mais velhas fizeram mamografias nos dois anos anteriores ao período estudado pelos pesquisadores. Essa falha deve constituir um foco para facilitar o oferecimento de mamografias à esta população ( Agosto 2006, vol. 31:3 , pp 142 – 149).

As mulheres mais idosas portanto também devem ser encorajadas a participar dos programas de “screening” através de lembretes periódicos e campanhas publicitárias lembrando sempre que o risco de câncer de mama aumenta com a idade”, disse a Dra. Long.

Médicos também podem encorajar suas pacientes mais idosas

Quando uma mulher de mais idade vier realizar o exame alguns cuidados devem ser observados:

1 - Cuidado com a pele delicada

Em primeiro lugar deve-se ter um cuidado com feridas na pele e abrasivos. A pele de mulheres mais idosas pode ser mais frágil do que a de mulheres jovens e tem maior sensibilidade à lesões.

Apesar de em alguns casos ser muito difícil não causar desconforto na pele da paciente idosa, devido à necessidade técnica de compressão, esta questão pode ser conduzida.

É muito importante verificar se o equipamento está devidamente higienizado para evitar contaminações indevidas.

Cuidado, entretanto, para não enfatizar em demasia  esta questão. Muitas mulheres idosas tem consciência da fragilidade da pele dos seios mas vem menos stressada para o exame quando este ponto não é tão ressaltado, comenta a Dra Long.

2 - Permita acompanhante

Pode ser muito útil permitir que a pessoa idosa traga um acompanhante ou uma acompanhante durante a realização do exameEsta pessoa pode inclusive , se for o caso, acompanhar a realização do exame atrás do painel de controle.

Um aspecto importante também é que este acompanhante pode dar apoio à paciente idosa após a descompressão da mama. Se uma mulher nessa condição move-se rapidamente para trás, ela pode se ferir.

3 - Sentada ou de pé ?

Uma paciente com mais idade necessita à vezes realizar o exame sentada. Ela pode ficar de pé por alguns minutos , mas você deve interrogar delicadamente esta questão antes do início do exame.

“A segurança da paciente é prioritária e não deve ser comprometida”, comenta a Dra.

Mesmo que a paciente sinceramente queira ajudar, ela pode na verdade não ter uma capacidade de avaliar realisticamente a sua condição e limitações.A Dra. Long sugere que sejam feitas algumas perguntas básicas para avaliar a capacidade de mobilização da paciente:

- A sra. pode permanecer alguns minutos sem apoio?

- Pode dar pequenos passos de lado?

- Pode levantar um dos braços sem perder o equilíbrio?

- Anda sempre no seu quarto ou pela sozinha, sem assistência?

- Veste-se sozinha? Vestir-se demanda um grau de mobilidade semelhante à agilidade e taxa de mobilidade necessárias para realização de mamografias.

Se a paciente hesitar na resposta a qualquer uma destas questões , não realize a mamografia em pé, proceda o próximo passo: mamografia sentada.

4 - A mamografia sentada

Antes de iniciar a realização de uma mamografia sentada, peça auxílio à outro técnico. Como em qualquer situação um pouco mais dificultosa, quatro mãos são melhores do que duas, observa a Dra. Long.

O técnico auxiliar pode ajudar a ajustar o equipamento, estabilizar o paciente e auxiliar no posicionamento.Esta assistência é muito importante para oferecer eficiência e segurança ao procedimento.

Se a paciente estiver numa cadeira de rodas, é fundamental que a mesma esteja bem travada e adequadamente posicionada antes de iniciar os procedimentos.Se possível posicione a paciente de uma forma que os quadris estejam encaixados na porção posterior da cadeira.

Se os braços da cadeira de rodas puderem ser removidos, tire um de cada vez de maneira que o remanescente possa servir de apoio durante o posicionamento.Use travesseiros para apoiar o paciente também.Se os braços da cadeira não puderem ser removidos,transfira a paciente para uma cadeira de posicionamento mamográfico ou para uma cadeira de rodas onde os braços possam ser ajustáveis.

Se nenhuma destas opções for possível,realize o mamograma usando as posições craniocaudal e lateromedial, conquanto mediolateral obliqua e obliquas latero mediais, provavelmente sejam dificultadas pela impossibilidade de remoção dos braços da cadeira.

A Dra. Long considera que o posicionamento lateromedial em 90º é a próxima melhor opção para a mediolateral obliqua para pacientes com limitações físicas.

“Sua primeira escolha deve ser as projeção mais indicada as posições que estejam inviabilizadas pela condição da paciente”.Dois fatores críticos para realização deste tipo de procedimento: mantenha as costas da paciente o mais ereta possível; e Keep the patient leaning forward at the waist.

Trabalhar com pacientes sentadas é um desafio, mas uma pequena atenção extra ,resulta e mamografias bem sucedidas e confortáveis.

 

Kelly Bilodeau

 

 

Original article writed by Kelly Bilodeau AuntMinnie.com contributing writer, October 6, 2006 - (artigo traduzido e adaptado, publicado no site radiology.com.br)

 

Site Elaborado por: Marcelo Ortiz Ficel